Últimas

www.
Home / Notícias / Economia / Vendas industriais caem 23,16% em quatro anos, mostra estudo da Fiep
Vendas industriais caem 23,16% em quatro anos, mostra estudo da Fiep

Vendas industriais caem 23,16% em quatro anos, mostra estudo da Fiep

Início da recuperação em 2018 vai depender da abrangência das reformas

Pelo quarto ano consecutivo as vendas industriais reais paranaenses tiveram desempenho negativo. Em 2017 a queda foi de 2,16% em comparação com 2016. No acumulado desde 2014 a retração já soma 23,16%. Os dados são da pesquisa Indicadores Conjunturais, da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep). O estudo mostra que as sucessivas quedas começaram em 2014, com redução de 6,40%; seguindo em 2015 (8,44%); em 2016 (7,40%), e a 2,16% em 2017.

Quatro anos de quedas sucessivas é algo inédito. “É um fato nunca antes verificado desde o início da série histórica dos Indicadores Conjunturais, em 1986”, observa Roberto Zurcher, economista da Fiep.  Ele acrescenta que em qualquer ambiente econômico são estes os sinais característicos de crise.  Conforme análise da Fiep, o fraco desempenho do faturamento industrial é consequência dos típicos e clássicos problemas da economia nacional, como gastos públicos excessivos e crescentes e reduzida produtividade; carga tributária e encargos sociais elevados; reduzidos grau e padrão de escolaridade; infraestrutura deficiente e repleta de gargalos e baixos níveis de poupança e de investimento.

“Estes são alguns dos fatores restritivos que determinam taxas de crescimento econômico descolados do potencial de recursos disponíveis para transformação em riqueza”, comenta o economista. No emprego, a queda acumulada nestes quatro anos chega a 14,81%. “O percentual evidencia uma redução na produtividade (declínio no valor do faturamento por empregado), o que implica a necessidade de novos e mais ajustes”, observa Zurcher.

Recuperação – A expectativa é que em 2018 a indústria paranaense continue caminhando para a recuperação. Mas, segundo o economista da Fiep, este caminho terá que ser marcado por muita perseverança e disciplina para atingir o nível de 2013. “Após esses últimos quatro anos de queda no faturamento real, os indicadores mostram que 2018 terá vendas industriais superiores a 2017 em menor ou maior grau dependendo das reformas estruturais que venham ou não a serem implantadas”, comenta.

Segundo análise da Fiep, a tendência é que o nível de emprego também dê sinais de recomposição, mas certamente numa proporção menor, pois a partir de agora volta e deve ser enfatizada a recuperação da produtividade também perdida nos últimos anos.

Especificamente em 2017, a queda de 2,16% nas vendas foi motivada pelo desempenho negativo de dez dos 18 gêneros pesquisados. Os três gêneros com maiores reduções foram: ‘Refino de Petróleo e Produção de Álcool’ (-18,54%), ‘Borracha e Plásticos’ (-13,58%) e ‘Couros e Calçados’ (-11,84%). Os três gêneros com maiores crescimentos nas vendas foram ‘Madeira’ (+17,34%); ‘Minerais não Metálicos’ (+14,07%); e ‘Celulose e Papel’ (+11,74%).

O emprego no setor industrial caiu no total 5,58% em 2017 em comparação com 2016. A redução do emprego ligado diretamente à produção foi ainda maior no ano, com redução de 8,24% no número de empregados. Com menos vendas e menor número de pessoal empregado, as indústrias também reduziram as compras de insumos em 2017. No acumulado de janeiro a dezembro a redução foi de 5,42% em comparação ao mesmo período de 2016.

 

 

 

Por Elvira Fantin

Imagem: @mindandi

 

About Mega Moveleiros

Portal de notícias e negócios para marcenarias, indÚstrias e revendas do setor moveleiro no Brasil.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Scroll To Top