Últimas

www.
Home / Notícias / Economia / Industrial paranaense reduz confiança na economia em março
Industrial paranaense reduz confiança na economia em março

Industrial paranaense reduz confiança na economia em março

Divulgação de baixo crescimento da economia em 2018 e divergências entre executivo e legislativo na articulação das reformas interferiu para a queda em relação a fevereiro

O industrial do Paraná está menos confiante na economia este mês. É o que revela o resultado da pesquisa mensal realizada pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), que apontou queda de 0,6 pontos este mês em relação a fevereiro. O nível de confiança caiu de 65,5 para 64,9 pontos. O levantamento inclui dados da indústria de transformação e da construção civil.

Apesar de menor em março, no geral, o índice ainda é positivo, ou seja, está acima dos 50 pontos, na faixa de otimismo. O valor também está 6,8 pontos acima da média dos últimos 12 meses (abril de 2018 a março de 2019). Em relação ao mesmo período de 2018, o grau de confiança é 3,5 pontos maior. Em março de 2018, o indicador geral era de 61,4 pontos.

De acordo com o economista da Fiep, Evânio Felippe, o anúncio do novo governo de que se empenharia para realizar logo as reformas para retomada do crescimento econômico gerou forte otimismo em toda a atividade produtiva do Paraná. Porém, este cenário ainda não tem se confirmado. O resultado do PIB do ano passado também pode explicar a queda no otimismo.

“À medida em que as propostas de reforma foram sendo encaminhadas e as divergências entre os poderes se tornaram públicas, sinalizando que a aprovação não seria tão rápida quanto se esperava, houve interferência na percepção positiva dos empresários”, avalia. “O crescimento do PIB de apenas 1,1%, abaixo do esperado, reforçou a expectativa de menor crescimento da economia também para 2019 e isso pode ter impactado no resultado da pesquisa”, acrescenta.

O Estudo da Fiep segue a mesma metodologia adotada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O indicador que mede a confiança do empresário é formado pelo indicador de condições, que avalia a percepção do empresário em relação a seu próprio negócio e à economia do país nos últimos seis meses, e pelo de expectativas, que faz a mesma avaliação, mas projetando a avaliação para os próximos seis meses. O índice de condições ficou em 55 pontos, queda de 1,7 ponto em relação ao mês passado. Já o de expectativas ficou praticamente estável, 69,8 pontos, 0,1 ponto abaixo de fevereiro. Entre as pesquisadas33,8% são pequenas, 36,6% médias e 29,6% grandes empresas.

Sondagem

Na pesquisa Sondagem Industrial, realizada mensalmente pela CNI e que serve de parâmetro para medir a confiança do empresário, 60% dos entrevistados responderam que esperam ter aumento de demanda nos próximos seis meses. Cerca de 70% pretendem manter a quantidade de postos de trabalho e 57% estimam que devem fazer investimentos nos próximos seis meses.

 

 

 

Por Assessoria de Imprensa Sistema Fiep

Imagem: Divulgação

About Mega Moveleiros

Avatar
Portal de notícias e negócios para marcenarias, indÚstrias e revendas do setor moveleiro no Brasil.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Scroll To Top