Últimas

www.
Home / Notícias / Empresas / Do planejamento ao controle financeiro da sua empresa
Do planejamento ao controle financeiro da sua empresa

Do planejamento ao controle financeiro da sua empresa

Para ter uma empresa economicamente saudável, é importante planejar e controlar as finanças

A gestão de uma empresa compreende várias áreas, entre elas a financeira, já que seu sucesso interfere diretamente na continuidade ou não das operações da companhia.

Para que ela tenha as condições ideais para se desenvolver no mercado, é necessário fazer um planejamento e um controle financeiro, mas é comum confundir esses termos ou mesmo não saber qual é a sua definição.

Se esse é o seu caso, veio ao lugar certo! Vamos entender quais são as definições desses dois termos e como você deve proceder em sua empresa para que ela seja bem-sucedida.

Qual a diferença entre planejamento e controle financeiro?

É como se o planejamento fosse uma etapa voltada à teoria, enquanto o controle financeiro corresponde à aplicação prática. Para que seja possível controlar as finanças, primeiro é preciso planejar o que será feito na empresa para depois decidir o que for necessário.

Pense em um almoxarifado que está desorganizado. Antes de começar a arrumação, é preciso saber o que há nele, quais são as quantidades e qual é a situação dos materiais armazenados para, então, saber o que será feito em seguida.

A situação é similar com a parte financeira da companhia. Antes de tomar decisões que impactarão em seu funcionamento, é fundamental ter um panorama da situação e entender exatamente o que acontece.

Os dois passos são imprescindíveis para companhias de todos os portes e segmentos, mas infelizmente sua adoção não é tão massiva quanto deveria. Portanto, o ideal é que todas elas analisem como está a situação financeira e posteriormente, tomem as devidas medidas.

Como proceder com o planejamento e o controle financeiro?

Ambos devem ser aplicados para a obtenção de bons resultados, neste que é um processo que deve ser realizado na seguinte ordem:

Planejamento financeiro

O primeiro passo é planejar qual será o modus operandi do setor financeiro, de modo a pensar e definir como proceder antes de tomar essas decisões. As atividades podem ser feitas na seguinte ordem:

  1. Organize o fluxo de caixa. Saiba exatamente quanto de dinheiro entra e quanto sai da empresa por mês. Separe um tempo para analisar as contas e, assim, ter dados precisos que serão essenciais para as próximas etapas.

 

  1. Entenda sua posição atual e onde deseja chegar. Compreenda onde a sua empresa se posiciona no mercado (pontos fracos e fortes, maiores ameaças e melhores oportunidades) e então, qual é o lugar que deseja estar (planos futuros para seu crescimento e desenvolvimento).

 

  1. Planeje um orçamento. É preciso investir para fazer a empresa crescer, mas isso deve ser feito de maneira controlada, de modo a não surtir efeitos negativos em sua saúde financeira. Considere os equipamentos, recursos, colaboradores e tecnologias disponíveis, veja o que precisará ser melhorado e estime os custos envolvidos, sem ultrapassar as condições da empresa.

 

  1. Monte um plano de ação. Defina o que será feito, por qual motivo, quando, onde e por quem, além de considerar os métodos aplicados para sua realização e o impacto financeiro que isso trará ao orçamento.

 

  1. Imagine possíveis cenários. Mesmo com um planejamento bem definido, pode ser que a situação fuja dos planos, seja para melhor ou para pior. Pense como a empresa terá que agir nesses casos e, se eles efetivamente acontecerem, você não será pego de surpresa e poderá agir com mais assertividade.

 

Controle financeiro

A próxima etapa consiste em acompanhar de perto a movimentação dos recursos financeiros na empresa, de modo que nada passe despercebido e, mesmo que algo fuja dos planos, seja possível proceder da melhor maneira possível.

Para isso, defina indicadores que deverão ser analisados na empresa. Eles podem variar de acordo com cada empresa ou de suas expectativas, mas boas sugestões são as seguintes:

  • Faturamento (quanto a empresa vende ou se está com as contas negativas);
  • Custos (despesas fixas e variáveis);
  • Recebimentos (quanto efetivamente é recebido das vendas);
  • Liquidez (possibilidade de a empresa conseguir dinheiro em um curto período de tempo);

Fonte: https://www.sumus.com.br/solucoes/consulting/

 

 

Por Maria Gabriela

Imagem: Onlyyouqj

About Mega Moveleiros

Avatar
Portal de notícias e negócios para marcenarias, indÚstrias e revendas do setor moveleiro no Brasil.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Scroll To Top