Últimas

www.
Home / Notícias / Economia / Comércio de São Paulo sente drasticamente os impactos do coronavírus, confira dados
Comércio de São Paulo sente drasticamente os impactos do coronavírus, confira dados

Comércio de São Paulo sente drasticamente os impactos do coronavírus, confira dados

Medidas preventivas que a população vêm adotando para evitar contaminação fizeram vendas caírem 16,3% só no ultimo final de semana, de acordo com a ACSP com base em dados nacionais da Boa Vista

Com menos pessoas circulando em ambientes públicos, como shoppings, por conta dos cuidados relativos à epidemia de coronavírus, as consultas para vendas a prazo e às vistas nas lojas tiveram queda de 16,3% só no último fim de semana comparado ao fim de semana anterior. Em comparação a igual período do 2019, a queda foi maior, de 16,7%.

O levantamento do Instituto de Economia Gastão Vidigal da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), com base em dados nacionais da Boa Vista Serviços, já reflete a atual realidade: de que o consumidor já está se retraindo, e mudando seus hábitos de consumo aos poucos por conta da epidemia, segundo Marcel Solimeo, economista da ACSP.

Até o último fim de semana, quando encerrou a primeira quinzena, as vendas no comércio paulistano tiveram alta média de 5,3%, ainda sob os efeitos do Carnaval, no fim de fevereiro, e da movimentação pós-evento.

Por outro lado, com o aumento dos casos, parte da população continua a comprar, porém, com mais frequência, itens como alimentos e produtos de higiene e limpeza – atitude que deve ser bem avaliada, segundo Solimeo, para evitar desabastecimento.

“Essa queda é um primeiro reflexo, não quer dizer que vai continuar a piorar”, afirma. “Quando a ambiente é de incerteza, como o de agora, não há como fazer projeções: o ideal é evitar o pânico”, destaca.

Com a exceção de bares e restaurantes, que provavelmente não conseguirão repor a demanda perdida nesse primeiro momento, os demais lojistas devem aproveitar uma possível ociosidade para fazer ajustes e melhorias internas, pois quando as coisas voltarem ao normal, os consumidores também voltarão a comprar.

“Mas também procurar manter a cautela, seguindo as orientações do Ministério da Saúde, e adotar medidas de precaução para proteger funcionários e clientes”, afirma. “Não há uma receita para enfrentar a situação, pois não sabemos o que vai acontecer. É adaptar o seu negócio à medida que as coisas evoluírem”, orienta o economista da ACSP.

Sobre a ACSP: A Associação Comercial de São Paulo (ACSP), em seus 125 anos de história, é considerada a voz do empreendedor paulistano. A instituição atua diretamente na defesa da livre iniciativa e, ao longo de sua trajetória, esteve sempre ao lado da pequena e média empresa e dos profissionais liberais, contribuindo para o desenvolvimento do comércio, da indústria e da prestação de serviços. Além do seu prédio central, a ACSP dispõe de 15 Sedes Distritais, que mantêm os associados informados sobre assuntos do seu interesse, promovem palestras e buscam soluções para os problemas de cada região.

 

 

 

 

Por Patrícia Gomes Baptista

Imagem ilustrativa

About Mega Moveleiros

Avatar
Portal de notícias e negócios para marcenarias, indÚstrias e revendas do setor moveleiro no Brasil.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Scroll To Top